3/4/2021 08:12

Especialista em finanças diz que clubes não suportariam futebol parado mais 2 meses

Especialista em finanças diz que clubes não suportariam futebol parado mais 2 meses

Foto: Infografia

O futebol parou no mundo todo devido à pandemia e precisou se adaptar para voltar a ser disputado, com portões fechados, protocolos de segurança incluindo a testagem. Após a adoção de medidas, as competições foram liberadas para a retomada das atividades, mas, no Brasil, a alta do número de casos e mortes este ano levou a uma nova parada em alguns estados, como São Paulo, mas os clubes e as federações insistem na continuidade, inclusive levando jogos a outras localidades.



Em entrevista a Mauro Cezar Pereira no programa Dividida, do UOL Esporte, o especialista em finanças do futebol Cesar Grafietti explica o que leva os clubes a insistirem na continuidade dos jogos e faz um paralelo com a Europa, afirmando que o futebol não aguenta financeiramente uma nova parada por dois ou três meses, ainda que seja possível parar por um intervalo menor.


LEIA TAMBÉM: Confira a chegada inusitada de Thiago Maia no Ninho do Urubu


"Se tivesse que parar mais dois ou três meses, como foi no ano passado, sem dúvida, aí, o cenário seria devastador. Os clubes não aguentam tudo isso. O dinheiro da TV está ali, oxigenando a estrutura, então, não pode parar", explica Grafietti.

"O que nós temos visto [na Europa] é uma quantidade excessiva de partidas sendo jogadas com um período de tempo muito mais curto, justamente para atender a essa expectativa da TV, agora, não aguenta muito mais tempo do que se parar dez dias, 15 dias é uma coisa, se parar dois ou três meses, de fato, ninguém aguenta", completa.

O economista explica o entendimento dos clubes e a questão financeira como motivo para que o futebol esteja empenhado em continuar com suas atividades mesmo ainda sem o controle da pandemia e, no caso do Brasil, com o agravamento da situação.

"Todas as atividades fechadas hoje gostariam de estar trabalhando dentro de medidas de segurança mínimas e razoáveis, então, o futebol não está fora deste contexto. Por mais que eu entenda que tem que preservar as vidas e cuidar da saúde, o futebol precisa trabalhar. E o futebol é uma atividade que, de certa forma, é capaz de trabalhar mesmo em uma situação dessa, basta ver que na Europa, com segunda e terceira onda, o futebol não parou, porque você fechou ali a condição dos atletas, criou uma série de bolhas", conta Grafietti.



"Você tem alguns protocolos de saúde e segurança que permitiram que o futebol continuasse na Europa. O futebol precisa voltar e precisa continuar de certa forma, porque senão a receita não entra, se não entrar, não paga salário, não paga imposto e isso vai arrastando, vai virando uma bola de neve. A gente tem que sempre pesar as duas coisas, alguns lugares você tem que tomar muito mais cuidados do que outros e se você cuidar e fizer de uma forma eficiente, o futebol pode emergencialmente continuar sendo disputado", conclui.

Especialista, finanças, clubes, suportariam, futebol, parado, meses

900 visitas - Fonte: Uol


VEJA: Dedé no Flamengo? Checamos!


CONFIRA: Após sondagens, Flamengo recua e avalia permanência de Arão no clube
















Instale o app do Flamengo para Android, receba notícias e converse com outros flamenguistas no Fórum!

Mais notícias do Flamengo

Notícias de contratações do Flamengo
Notícias mais lidas

Comentários do Facebook -




Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.
Casa da apostas online Betway

Últimas notícias do Mengão

Próximo Jogo - Brasileiro

Domingo - 16:00 - Maracanã - PFC
Flamengo
São Paulo

Último jogo - Libertadores

Quarta - 21:30 - Mané Garrincha
Flamengo
4 1
Defensa y Justicia