4/4/2020 16:00

"Segunda casa" do Flamengo na Libertadores, Equador vive crise e incertezas com o Covid-19

Guayaquil, cidade do Barcelona, tem mais de 70 dos casos do país e a maior taxa de mortalidade do continente. População não consegue remoção dos cadáveres das casas

Segunda casa do Flamengo na Libertadores, Equador vive crise e incertezas com o Covid-19

Todos estão ansiosos para a Libertadores voltar. E quando voltar, o Flamengo ainda vai fazer dois jogos fora pela fase de grupos, e os dois no Equador, contra Independiente del Valle e Barcelona. O país que será a "segunda casa" da equipe de Jorge Jesus na competição continental vive uma situação bastante complicada na luta para conter a pandemia do coronavírus.



LEIA TAMBÉM: Jovens da base do Flamengo podem ser emprestados ao fim da paralisação

A Conmebol inicialmente suspendeu a Libertadores até o dia 5 de maio por conta da pandemia, mas já considera ampliar este prazo para que todos os países reúnem melhores condições e consiga receber delegações e torcedores de fora. Há ainda a questão de algumas fronteiras estarem fechadas. Os equatorianos interromperam seus jogos desde o dia 14 de março.

Até a última sexta-feira, o Equador já contabilizava 3.368 casos (mais 3.661 suspeitos) e 145 mortes confirmadas. A sensação no país é de que este número seja muito maior, porque, embora tenha exames disponíveis, não há capacidade para processá-los.

O maior problema no Equador, que tem população 12 vezes menor que a do Brasil e território 30 vezes menor, é a região de Guayaquil, onde o Barcelona disputa suas partidas e que está no grupo do Flamengo. A cidade, que ganhou o apelido de a "Wuhan do Equador", tem 2.388 casos (quase 71% do total) e a maior taxa de mortalidade por Covid-19 na América Latina.

O sistema funerário do país entrou em um verdadeiro colapso, e as ambulâncias precisam escolher entre tentar salvar os doentes ou recolher os corpos. Com a demora, muitos começaram a ser colocados na rua. Somente na última quarta-feira cerca de 150 corpos foram removidos, ainda sem o teste para a doença.

Ao jornal uruguaio "Ovación", o volante do Barcelona Bruno Piñatares falou sobre a situação que vive a cidade.

- Os vídeos que circulam são fortíssimos e muito chocantes. Com pessoas mortas nas ruas e demoram muito a recolher os cadáveres. É consequência de a saúde pública estar transbordada. Não há leitos e não há como fazer os testes, assim como em outros países. As ambulâncias não dão conta, e priorizam salvar os doentes do que retirarem os mortos - disse o jogador.

O Banco Mundial anunciou empréstimo de 20 milhões de dólares para auxiliar, mas a situação parece estar longe de melhorar.



LEIA TAMBÉM: Libertadores: Conmebol não tem mais convicção de que final do torneio ocorrerá em 21 de novembro

Flamengo, equador, guayaquil. coronavirus

999 visitas - Fonte: Globoesporte.com


A FLAMENGO ESTEVE ATRÁS DO CAVANI? GLOBO NÃO PAGA ESTADUAIS E BRASILEIRO, VEJA SITUAÇÃO FINANCEIRA DO FLAMENGO! MARACANÃ VAI VIRAR HOSPITAL?




CONFIRA: Jorge Jesus: Digam à Nação que fico!

VEJA: Flamengo cede volante do sub-20 e deve negociar mais crias do Ninho



Instale o app do Flamengo para Android, receba notícias e converse com outros flamenguistas no Fórum!

Mais notícias do Flamengo

Notícias de contratações do Flamengo
Notícias mais lidas

Comentários do Facebook -




Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.
Casa da apostas online Betway

Últimas notícias do Mengão

Próximo Jogo - Carioca

Segunda - 20:30 - Estádio João Francisco - Fox
Bangu
Flamengo

Último jogo - Carioca

Sábado - 18:00 - Maracanã
Flamengo
2 1
Portuguesa