11/6/2019 13:22

Incêndio no Ninho: Ex-presidente do Flamengo é indiciado por dolo eventual

Incêndio no Ninho: Ex-presidente do Flamengo é indiciado por dolo eventual

Alojamento do Ninho do Urubu foi atingido por incêndio (Imagem: Reprodução/SporTV)

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello e outras sete pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro por dolo eventual (quando se assume a intenção de matar) pelas mortes dos 10 jovens no incêndio que ocorreu no Ninho do Urubu.



O inquérito, assinado pelo delegado Márcio Petra, da 42ª Delegacia de Polícia (Recreio), pede ainda o indiciamento do monitor Marcos Vinicius Medeiros, Marcelo Sá e Luis Felipe Pondé, engenheiros do Flamengo; Danilo da Silva Duarte, Weslley Gimenes e Fábio Hilário da Silva, da empresa de contêineres NHJ, e Edson Colman da Silva, técnico em refrigeração.



LEIA TAMBÉM: Com edema na panturrilha, Diego pode ser desfalque para duelo com o CSA


A informação foi publicada, primeiramente, pelo portal G1 e confirmada pelo UOL Esporte.

O UOL Esporte procurou Eduardo Bandeira de Mello, que foi mandatário do Rubro-Negro entre 2013 e 2018, mas ainda não obteve resposta.

O incêndio no Ninho do Urubu aconteceu no dia 8 de fevereiro deste ano e deixou 10 jovens mortos - Athila Paixão, de 14 anos; Arthur Vinícius, 14 anos; Bernardo Pisetta, 14 anos; Christian Esmério, 15 anos; Gedson Santos, 14 anos; Jorge Eduardo, 15 anos; Pablo Henrique, 14 anos; Rykelmo de Souza, 16 anos; Samuel Thomas Rosa, 15 anos; e Vitor Isaías, 15 anos. Outros três atletas ainda ficaram feridos e tiveram de ser hospitalizados: Kauan Emanuel, 14 anos; Francisco Dyogo, 15 anos; e Jhonata Ventura, de 15 anos. Jhonata foi que apresentou o quadro mais grave, tendo queimaduras em 30% do corpo.

Os jovens dormiam em contêineres e o fogo teria começado após um curto-circuito em um aparelho de ar-condicionado de um dos dormitórios. À época, os alojamentos não estavam totalmente cheios porque, devido ao temporal do dia anterior, os treinos haviam sido cancelados e muitos jovens retornaram às respectivas casas.

Durante a apuração do caso, foi apontado que o local onde estavam os alojamentos, segundo a planta original, seria destinado a um estacionamento e, portanto, não poderia ter tais estruturas.



Após o incêndio, iniciou-se uma batalha entre Flamengo e as famílias das vítimas. Inicialmente, nas reuniões entre as partes, a diretoria rubro-negra não aceitou os valores propostos pela Defensoria Pública. Depois de todo um imbróglio - em um período que, inclusive, o Flamengo se pronunciava apenas através de notas à imprensa -, as negociações foram individuais e, até o momento, apenas três acordos foram fechados: com os familiares do Athila, Gedinho e com o pai do Rykelmo (a mãe permanece em negociação).

Flamengo, Incêndio, Ninho, Ex-presidente, Indiciado, Dolo, Mengão

651 visitas - Fonte: UOL


Clique aqui para entrar no Grupo do WhatsApp do mengão e receber informações e notícias

LEIA TAMBÉM: [PARTICIPE]: Deixe sua mensagem de boas vindas para Filipe Luís, o mais novo reforço do Mengão

LEIA TAMBÉM:Portal inglês aponta disputa entre Manchester City e Liverpool por Reinier, joia da base do Flamengo

VEJA: Clique aqui e veja as promoções que a Network BG preparou para você acompanhar todos os jogos do Flamengo da temporada


Instale o app do Flamengo para Android, receba notícias e converse com outros flamenguistas no Fórum!

Mais notícias do Flamengo

Notícias de contratações do Flamengo
Notícias mais lidas

Comentários do Facebook -




Leonardo Melo     

Acho quem tem que ser investigado e se foi omisso vai ter que sofrer consequências sim

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias do Mengão