20/1/2021 09:44

Após mudanças no DM, Fla implementa nova filosofia e reduz número de lesões

Após mudanças no DM, Fla implementa nova filosofia e reduz número de lesões

Treino do Flamengo no Ninho do Urubu — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

As mudanças realizadas no Departamento de Saúde e Alto Rendimento do Flamengo em outubro geraram questionamentos dentro e fora do clube na época. A chegada de novos profissionais aconteceu em meio a um dos momentos com mais jogadores lesionados e suscitou o debate sobre a pertinência das alterações à época.



Aos poucos, porém, a reformulação vem dando resultado: em cerca de três meses de trabalho, o Flamengo reduziu o número de jogadores lesionados e passou a apostar num trabalho preventivo, avaliado como positivo internamente.


LEIA TAMBÉM: Titular pela primeira vez sob o comando de Ceni, Diego apresenta-se como possível solução


De seis jogadores lesionados em outubro, o DM rubro-negro agora tem dois atletas: Thiago Maia e Diego Alves.

Dos dois, a lesão do volante foi a partir de um trauma - Thiago sofreu uma lesão ligamentar grave no joelho numa queda no jogo com o Atlético-GO. Diego Alves, que está em trabalho de fisioterapia, teve um problema muscular.



Foco em prevenção e gerenciamento de dados

Para conseguir esvaziar o departamento médico, o Flamengo passou a implementar uma metodologia mais voltada à prevenção. Com o aval de Marcio Tannure, gerente do setor, o novo coordenador de fisioterapia, Marcio Puglia, utilizou os dados coletados diariamente para entender melhor os jogadores e poder estabelecer uma nova filosofia.

O trabalho foi bem recebido pelos atletas. De acordo com dados apurados pelo ge, o número de atendimentos de caráter preventivo subiu de 108 em outubro para 439 em novembro e 397 em dezembro.

A participação dos jogadores é vista como primordial no trabalho. Dos que se lesionaram neste período, nenhum teve problema de re-lesão, quando há uma espécie de recaída.

Outros jogadores lesionados conseguiram se recuperar num período menor do que a média: Willian Arão, por exemplo, teve lesão muscular de grau 2 no músculo posterior da coxa e voltou na metade do tempo previsto.

Alguns atletas também passaram por um processo de reequilíbrio. O caso mais famoso foi o de Gabigol, que chegou a desfalcar o Flamengo para concluir o trabalho. Nomes como Bruno Henrique e Arrascaeta também realizaram este tipo de atividade, definida a partir da análise dos dados de cada jogador.

Investimento em tecnologia

Nos últimos meses, o Flamengo também investiu em equipamentos e tecnologia para o setor. Uma esteira anti-gravitacional, que auxilia na recuperação e na prevenção, foi adquirida, assim como uma câmara hiperbárica e um novo modelo de bota compressora, que acelera a recuperação muscular - o clube será o primeiro do Brasil a utilizar o produto, oriundo dos Estados Unidos.

Além de equipamentos, o departamento também investiu na análise das informações. Puglia, por exemplo, criou um aplicativo para cuidar dos dados produzidos e gerar relatórios diários que são distribuídos a todas as áreas de saúde do Flamengo.

É com base nestes relatórios que são pautadas as reuniões antes de cada treino. É nelas, por exemplo, que se decide poupar ou não um jogador que se queixou de algum problema muscular, apontado de acordo com os dados apresentados.

Os relatórios mostram que tipo de atendimento foi realizado (prevenção, tratamento ou recuperação pós-jogo), os tipos de queixa (mialgia na coxa é a líder) e o local onde os jogadores se queixaram de dor.

Um exemplo: em uma semana de dezembro, houve 20 atendimentos de atletas que se queixaram de dor no músculo posterior da coxa. Um se lesionou: Willian Arão.

A situação de Diego Alves

No momento, o principal desafio de curto prazo do departamento médico rubro-negro é devolver Diego Alves ao time. O goleiro sofreu uma lesão na coxa direita no fim de dezembro. Desde então, segue em tratamento para retornar.

No treino de terça-feira, em Brasília, por exemplo, o jogador foi a campo, mas realizou um trabalho separado do grupo. Ele fez trabalhos leves alternando com um fisioterapeuta e um preparador de goleiros.



O departamento médico também passou por escrutínio nos bastidores do Flamengo. Em dezembro, o clube iniciou um projeto de integração para que profissionais também trabalhassem no sub-20.

Quando esteve no Ninho do Urubu em dezembro para acompanhar de perto o trabalho do futebol, o presidente Rodolfo Landim fez questão de entender o porquê do alto número de profissionais nos departamentos médico e de preparação física. A sugestão de Tannure de iniciar o trabalho de integração foi bem aceita pelo mandatário.

Flamengo, Mudanças, Implementa, Filosofia, Reduz, Número, Lesões, Mengão

741 visitas - Fonte: globoesporte


VEJA: Gabigol tem bom retrospecto de gols contra o São Paulo no Morumbi


CONFIRA: Torcida do Flamengo faz festa no embarque do time para São Paulo










Instale o app do Flamengo para Android, receba notícias e converse com outros flamenguistas no Fórum!

Mais notícias do Flamengo

Notícias de contratações do Flamengo
Notícias mais lidas

Comentários do Facebook -




Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.
Casa da apostas online Betway

Últimas notícias do Mengão

Próximo Jogo - Carioca

Quarta - 21:30 - Maracanã - Premiere
Flamengo
Nova Iguaçu

Último jogo - Brasileiro

Domingo - 16:00 - Maracanã - RJ
Flamengo
2 1
Internacional