17/10/2018 09:35

Nova postura abre caminho para Vitinho se firmar na reta final

Principal contratação do Fla, camisa 14 tem suas melhores atuações nos últimos dois jogos e afasta desconfiança e vaias de semanas antes. Mas, afinal, o que mudou em tão pouco tempo?

Nova postura abre caminho para Vitinho se firmar na reta final

Gilvan de Souza

Nem parecia o mesmo personagem. Em um intervalo de três semanas, Vitinho saiu do momento mais complicado desde sua chegada e enfim conseguiu mostrar um pouco do futebol que levou o Flamengo a investir 10 milhões de euros em sua contratação. No mesmo gramado do Maracanã onde ficou 36 minutos em campo e foi substituído por Maurício Barbieri, na vitória sobre o Atlético-MG, o camisa 14 teve sua melhor e mais segura atuação no clássico diante do Fluminense.



Foram duas assistências, dribles, agressividade e movimentação no lado esquerdo do ataque. Assim como no jogo contra o Corinthians, Vitinho foi o melhor jogador em campo no primeiro tempo contra o Fluminense. Na etapa final, mais uma vez, não conseguiu manter o mesmo padrão, mas o camisa 14 tem se mostrado um jogador muito útil desde a chegada de Dorival.

Mas quais fatores contribuíram para que Vitinho tivesse suas atuações mais eficazes e seguras nos últimos dois jogos?

Mais confiante

É subjetivo, claro. Mas a confiança estava em falta para o camisa 14. Vitinho chegou ao Flamengo com peso de ser a maior contratação da história do clube e com a missão de substituir Vinicius Junior, xodó da torcida e que vivia boa fase antes de partir para o Real Madrid. Não render de cara era até esperado, mas a queda de rendimento do time como um todo abalou ainda mais a segurança do jogador.

Em meio a tudo isso, perdeu moral com o então técnico Barbieri. A substituição 36 minutos após entrar em campo no Maracanã e o banco de reservas no jogo decisivo da semifinal da Copa do Brasil deixaram isso ainda mais claro. Das arquibancadas, surgiram também as vaias. Com a chegada de Dorival, houve conversas individuais e uma busca por retomada de toda a confiança perdida.

Nos treinos da semana passada, foi comum ouvir Dorival elogiando e incentivando o camisa 14 nas atividades.

Livre pra ''voar''

Não foi somente a chegada de Dorival Junior que mudou o estilo do Flamengo jogar. A lesão de Diego obrigou o técnico que chegou há quase três semanas a modificar o esquema tático padrão da temporada. Optou por dois volantes de ofício (Arão e Cuéllar), armando um 4-3-2-1. Paquetá mais livre adiante, e Vitinho e Éverton Ribeiro com menos espaço para cobrir, podendo atuar com mais liberdade e agressividade. Funcionou bem para o camisa 14.

Consequentemente, com menos obrigações defensivas, Vitinho tem se aproximado dos demais atacantes. Chama o jogo, busca os companheiros e arrisca mais. Os dois primeiros gols no Fla-Flu nasceram de jogadas do camisa 14.

- Vitinho tem toda a qualidade para jogar no Flamengo. Simplesmente creio que a confiança que o Dorival passou ao grupo em geral o ajudou para melhorar em campo. Estamos muito mais próximos em campo uns dos outros, e isso tem ajudado. Aumentou a nossa responsabilidade - elogiou Uribe, companheiro de ataque de Vitinho.

Agressivo

Contra o Fluminense, o que se viu também foi um Vitinho mais agressivo, disposto a buscar o drible. Ao contrário dos outros jogos, onde parecia sem tanta vontade, partia em direção aos marcadores pela ponta esquerda, procurando tanto jogadas pelo fundo, quanto as suas habituais puxadas pelo meio. No clássico, sua dobradinha pela esquerda com Paquetá foi letal.

É outro jogador. Vitinho deu duas assistências precisas e foi decisivo no Fla-Flu. Também participou de dois gols na vitória anterior, novamente por 3 a 0, sobre o Corinthians.

''Ninguém esquece de jogar bola''

É o que disse Dorival Junior ao ser questionado sobre a evolução de Vitinho nos últimos dois jogos. O treinador acredita que, de fato, o crescimento está relacionado com a volta da segurança do principal reforço do Flamengo.

- Vitinho tem crescido pela sequência, pela confiança. É uma cadeia, um puxa o outro - completou .

Fator recuperação

É preciso ser justo. Vitinho estreou no Flamengo em agosto, período em que o time jogava sua mais intensa maratona. Sempre com jogos quarta e domingo, a equipe encarava duelos decisivos pela Copa do Brasil , Libertadores e Brasileirão. Enquanto todo o grupo estava em meio de temporada, Vitinho havia encerrado antes da Copa na Rússia. Sua estreia, por exemplo, ocorreu em um jogo de quartas de final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, em Porto Alegre.



Com a frustração das eliminações dos torneios mata-mata, o time e o jogador tiveram mais tempo de recuperação e, principalmente, de treino. Com mais perna, a diferença de gás também é natural e notável. Essa é a terceira semana seguida do Rubro-Negro sem jogos no meio de semana.

O Flamengo vem de duas vitórias seguidas por 3 a 0 (Corinthians e Fluminense) sob o comando de Dorival. O técnico chegou ao time no fim de setembro e esteve à beira do campo apenas em três jogos. Atualmente, o time segue na briga pelo topo da tabela do Brasileirão, com 55 pontos - quatro atrás do líder Palmeiras.

No domingo, a equipe visita o Paraná, lanterna do torneio, às 19h, na Vila Capanema.

2250 visitas - Fonte: Globo Esporte


Instale o app do Flamengo para Android, receba notícias e converse com outros flamenguistas no Fórum!

Mais notícias do Flamengo

Notícias de contratações do Flamengo
Notícias mais lidas

Comentários do Facebook -




Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias do Mengão